Como escolher o guarda-roupa ideal para o seu quarto | CMO com Você

Dicas de como escolher o seu guarda-roupa sem errar no planejamento da decoração do quarto

Decorar o quarto é algo prazeroso, não é mesmo? Isso porque este é o cômodo mais íntimo da casa, onde nos sentimos mais à vontade para expressar quem nós somos e do que gostamos.

Fazemos isto através da decoração – algo que já começa, inclusive, no momento da escolha dos móveis. E, vamos combinar que, depois da cama, não há item deste ambiente que seja mais prioritário do que o guarda-roupa.

É dentro dos armários que as pessoas guardam os seus bens mais preciosos. Tudo aquilo que elas usam em seu dia-a-dia fica mais bem organizado e protegido dentro de um móvel.

No dormitório, o guarda-roupa é o que abrigará suas vestimentas, sapatos, bolsas, roupas de cama e de banho, além de outros objetos. Por isso é que é tão importante saber escolher o modelo ideal.

Eduardo Paiva

Existem diversos modelos diferentes de guarda-roupa. Há aqueles com menos ou mais qualidade; os prontos e os modulados, feitos sob medida; os mais coloridos ou monocromáticos; e por aí vai.

Além disso, há móveis de todos os estilos, desde os mais rústicos aos provençais e modernos. Escolher um deles vai depender não só das necessidades, mas também do seu gosto.

Não precisa ficar com medo! Neste post, vamos dar algumas dicas que vão lhe ajudar a encontrar o guarda-roupa perfeito para a sua casa. Confira!

Bianchi & Lima Arquitetura

Como escolher o modelo ideal de guarda-roupa

De acordo com o tamanho do móvel

Em primeiro lugar, tenha em mente que o guarda-roupa é mais do que um ponto focal da decoração, ele é um móvel próprio para armazenamento.

Isso quer dizer que ele precisa ser o maior possível. Só que, em contrapartida, não dominar todo o quarto, impedindo que haja também uma boa cama e outros tantos elementos que se precisa. Tenha, portanto, uma noção real do espaço que essa peça pode ocupar no ambiente.

Certifique-se, com auxílio de uma trena, que o modelo que você escolher para comprar caberá mesmo na área vaga. Se o guarda-roupa já vem pronto, montado, talvez ele possa ter problemas para passar pelas portas e corredores.

“(…) verifique o caminho em que o móvel deverá passar ao ser transportado para o quarto. (…) ainda mais se você prefere um móvel enorme e com muitas partes.” – citação de reportagem de Casa e Construção.

Ambientes de grandes dimensões podem receber móveis grandes. Agora, para espaços reduzidos talvez seja melhor usar um roupeiro planejado.

Certamente, ele atenderá melhor as necessidades de quem utilizar o local para guardar suas coisas. Seu aproveitamento tem que ser total – tanto na largura quanto na altura e também internamente.

Em geral o uso do guarda-roupa faz relação com o seu número de portas. Assim, uma única porta seria adequada para as torres destinadas a utensílios pequenos, como pastas de documentos, livros ou roupas de cama e banho.

Já duas portas são indicadas para o uso individual – ideal para dormitórios de solteiro, de criança e adolescente. E três e quatro portas – em diante – para os ambientes de casal.

 AH!SIM                                                                    Iná Arquitetura

De acordo com a compartimentação interna

Depois que a pessoa entendeu qual o espaço disponível para ter um guarda-roupa dentro do seu quarto, é vez dela decidir tudo que será guardado nesse móvel.

De que adianta isso? Bem, para saber quantas pessoas vão utilizar o roupeiro e o que elas vão colocar dentro dele ajudará também a definir o modelo ideal. Afinal, a peça não precisa apenas explorar a dimensão do quarto, mas ser funcional.

Ao visitar uma loja de móveis, visualize bem como são compartimentados os interiores dos guarda-roupas vendidos. Será que as suas divisões e subdivisões vão lhe permitir organizar tudo, de roupas a acessórios?

“Fazer uma lista que inclua os tipos de peças de vestuário, tipos de calçados e acessórios e como queremos que sejam armazenados, ajuda nas definições das divisões internas do armário.” – arquiteta Lilian Simões, em reportagem de Revista Zap Imóveis.

Condecorar Arquitetura e Interiores

Se você utiliza muitos vestidos e trajes sociais, o melhor é escolher um guarda-roupa com um espaço vertical de cabideiro mais amplo.

As prateleiras ocupariam a parte superior, servindo para bolsas, roupas dobradas e caixas organizadoras. Na parte inferior, as gavetas, com roupas íntimas e outras peças. Calceiros também são bem-vindos. E em roupeiros de crianças, alguns nichos para guardar brinquedos.

Ana Luisa Previde

De acordo com a abertura das portas

Outro fator que pode definir a escolha de um modelo de guarda-roupa é a forma de sua abertura. Em quartos grandes, não faz diferença se as portas do móvel abrem para fora. Agora, se o tamanho no ambiente é mesmo muito reduzido, deixando quase que um móvel sobre o outro e ameaçando a boa circulação no espaço, então o melhor seriam as portas de correr.

Andrea Bento

Renata Romeiro

De acordo com as cores e acabamentos

Se questões como tamanho, compartimentação e abertura do guarda-roupa são satisfatórias, agora você pode julgar os modelos pela aparência.

O design do móvel deve estar de acordo com a decoração do dormitório. Suas linhas, assim como as cores, podem transmitir sensação de leveza ou dar a impressão de um visual pesado. Os tons mais claros e neutros fazem o espaço parecer mais amplo.

“Devemos dar preferência para um estilo mais clean, sem tanta mistura de materiais.” – arquiteta Lilian Simões.

     Jordana Gabrielli                                                                 Nathalia Bilibio

                                                                                                             

A qualidade e a durabilidade dos materiais também tende a impactar na escolha das pessoas quanto ao guarda-roupa ideal para sua casa. Móveis feitos em madeira, sem dúvidas, são os mais preferidos – principalmente se em tons claros.

Eles combinam com qualquer paleta de cores e estilo de decoração que se possa aplicar no quarto. São tendência as peças em MDF ou em fibras sintéticas e madeiras de demolição.

Acréscimos à escolha

Você analisou o estilo do guarda-roupa, assim como o seu material de fabricação, cor, tamanho e compartimentação interna. Agora, tudo que for acrescido a esta lista é dispensável – embora possa se apresentar como critério de escolha.

Um exemplo é a presença de placas de espelho nas portas do roupeiro. Elas ajudariam a ampliar o espaço assim como a pessoa a se ver de corpo inteiro e decidir sobre o seu look.

Muito bem, com todas essas dicas, agora é só escolher o guarda-roupa que mais combina com seu estilo e com sua decoração. Já tem algum modelo em mente?

Estas dicas para escolher guarda-roupa foram criadas pela equipe Viva Decora.

                         

 

Comentários do Facebook

Compartilhar: